Diagnosticar o cancro do pulmão

O diagnóstico baseia-se numa história clínica detalhada com especial atenção para exposições ao tabaco e ambiental/ocupacional a determinadas substâncias. Estas exposições podem ocorrer em meio laboral ou em hobbies e devem ser pesquisadas pormenorizadamente.

Exames que pode ter de realizar

Posteriormente serão realizados exames de imagem para confirmação da hipótese de cancro do pulmão, mas a confirmação só poderá ser realizada com a obtenção de uma biopsia. A obtenção de tecido para confirmação do diagnóstico, será orientada de acordo com a localização do tumor, as comorbilidades do doente e/ou o estádio da doença.

Há vários métodos para obtenção desta citologia/biopsia:

  • Broncofibroscopia.
  • Ecoendoscopia brónquica (EBUS).
  • Biopsia transtorácica.
  • Toracocentese.
  • Toracotomia.

Não deixe nenhuma questão por colocar

Colocar algumas questões ao médico, pode ajudar a compreender melhor a situação.
  • Que exames podem diagnosticar o cancro do pulmão?
  • Quanto tempo depois dos exames vou saber os resultados?
  • Que tipo de cancro do pulmão é que eu tenho?

O que são biópsias líquidas?

Uma biópsia líquida é uma alternativa simples e não invasiva à biopsia cirúrgica, que permite aos médicos descobrir um conjunto de informações sobre um tumor através de uma simples amostra de sangue. Estes vestígios de ADN do cancro no sangue dão pistas que serão úteis ao tratamento.

Por exemplo, hoje em dia a, biopsia liquida permite detectar várias mutações que podem estar presentes no cancro do pulmão, ajudando o médico a determinar qual o melhor tratamento para cada doente.

Ainda que possa vir a ter um grande impacto em vários tipos de cancro, hoje em dia a mais recente investigação foca-se nos cancros do pulmão, mama e próstata.

Vantagens das biópsias líquidas

Tanto a tolerabilidade como a conveniência são grandes vantagens para os doentes, principalmente doentes que não podem fazer biopsias clássicas.

No entanto, o maior benefício é a possibilidade de detetar a progressão da doença ou alguma resistência ao tratamento muito antes de alguma delas provocar sintomas ou aparecer em exames de imagem.

Outra das vantagens prende-se com a capacidade que as biópsias líquidas têm de conseguir identificar as diferentes mutações que existem em cada tipo de cancro, que podem não ser identificadas em biópsias tradicionais.

O fim das biópsias que usam tecido?

Nada disso, havendo de facto espaço para os dois tipos de método. Neste momento, as biópsias a que estamos habituados são aquelas usadas como procedimento padrão. De facto, para que sejam mais disseminadas, ainda existem alguns desafios que a biópsias líquidas têm de ultrapassar.

Por exemplo, como varia a precisão dos testes entre tipos diferentes de tumor? E em diferentes níveis de estadiamento da doença? Estas e outras perguntas são escrutinadas.

Avalie de 1 a 5 a utilidade deste artigo