Cancro do pulmão

  
  

O cancro do pulmão é, desde há várias décadas, o cancro mais comum em todo o mundo, sendo igualmente o responsável pelo maior número de mortes por cancro – 1 em cada 5, ou seja, mais ou menos 18,2 % do total de mortes por cancro.

O cancro do pulmão é, desde há várias décadas, o cancro mais comum em todo o mundo, sendo igualmente o responsável pelo maior número de mortes por cancro – 1 em cada 5, ou seja, mais ou menos 18,2 % do total de mortes por cancro.

O cancro do pulmão é, desde há várias décadas, o cancro mais comum em todo o mundo, sendo igualmente o responsável pelo maior número de mortes por cancro – 1 em cada 5, ou seja, mais ou menos 18,2 % do total de mortes por cancro.

Em todo o Mundo, 3 pessoas morrem de cancro do pulmão a cada minuto.

A mortalidade de cancro do pulmão, é semelhante à mortalidade combinada dos cancros da mama, colorretal e da próstata:

Esta mortalidade pode ser explicada em parte olhando para alguns alguns factos:

  • Mais de 2/3 dos casos de cancro do pulmão são diagnosticados num estadio avançado, quando as probabilidade de sobrevivência são menores.
  • Em estadios mais avançados, o prognóstico é de uma taxa de sobrevivência aos 5 anos que varia entre os 6% e os 35 %.

Esperança no futuro

Contudo, é uma área em constante evolução, não só no que concerne ao diagnóstico, como ao estadimento e à terapêutica. Nos últimos anos temos assistido a uma revolução na  terapêutica, com uma terapêutica cada vez mais dirigida, mais personalizada.

Paralelamente à investigação constante nesta área, medidas de prevenção e de deteção precoce também têm sido estudadas e aperfeiçoadas com o objetivo principal de um diagnóstico mais célere que se traduza numa  melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Os pulmões: uma introdução

Os pulmões, um par de órgãos esponjosos, em forma de cone, fazem parte do sistema respiratório. O pulmão direito tem três secções, chamados lobos; é um pouco maior que o pulmão esquerdo, que só tem dois lobos. Quando inspiramos, os pulmões transportam para dentro o oxigénio, de que as nossas células necessitam para viver e para desempenhar as suas funções normais. Quando expiramos, os pulmões eliminam o dióxido de carbono, que é um produto do “desperdício” das células do nosso organismo.

Compreender o cancro do pulmão

O cancro do pulmão divide-se em dois subtipos histológicos: cancro do pulmão de não-pequenas células e cancro do pulmão de pequenas células. Estes subtipos têm “comportamentos” diferentes, nomeadamente na forma de apresentação, metastização da doença, na  terapêutica e evolução.

Cancro do pulmão de não-pequenas células

O cancro do pulmão de não-pequenas células representa 80-90 % de todos os cancros do pulmão e divide-se em três subtipos:

  • Carcinoma de células escamosas (também chamado carcinoma epidermóide).
  • Adenocarcinoma.
  • Cancro pulmonar de grandes células.

Cancro do pulmão de pequenas células

O cancro do pulmão de pequenas células embora mais raro, tem uma taxa de multiplicação celular mais rápida e uma maior probabilidade de se apresentar como uma doença metastizada aquando do diagnóstico.

Sabe porque é o cancro do pulmão conhecido como o cancro das muitas caras?

Muita informação?

Descarregue

a nossa infografia resumo

Avalie de 1 a 5 a utilidade deste artigo